Ghost, do outro lado das capas...


Já falei do Ghost por aqui antes, e elogiei muito a questão da estética que envolve a banda.
Os suecos tem a capacidade de produzir muito mais do que apenas a música. Eles desenvolvem todo um conceito e uma imagem que muitas vezes instiga mais do que o próprio som.

O GHOST E O CINEMA

Um exemplo de todo esse meu lero-lero sobre imagem, estética, conceito, e tal, são as capas dos trabalhos da banda. Talvez você já tenha até percebido em alguns casos, mas muitos deles foram inspirados em pôsteres de cinema!

Além de o resultado ter ficado muito legal, isso sempre provoca fãs a comentarem sobre o assunto, procurarem referências, pesquisarem... A música explora muito pouca coisa de outras mídias, como o cinema, e o Ghost dá uma aula de como fazer isso.
Tanto que estamos dando o nosso preciosíssimo espaço apenas para discutir capas, sem sequer falar sobre a música deles! Genial, não?

Então, taca-lhe pau, e vamos para as capas. Tentarei manter uma ordem razoavelmente cronológica.
Se você souber de alguma outra referência, fique a vontade para comentar, que eu atualizo nossa lista!

OPUS EPONYMOUS X SALEM'S LOT

Salem’s Lot (Os Vampiros de Salem) é uma adaptação de um conto escrito por Stephen King, que fala sobre um escritor que volta a uma pacata cidade inglesa, e começa a suspeitar de alguns assassinatos que estão rolando por lá. Mais pra frente ele descobre a relação desses assassinatos com vampiros. O filme é de 1979, já o livro, também conhecido como A Hora do Vampiro, é de 1975.

O primeiro álbum do Ghost, lançado em 2010, é sobre um culto satânico, e um ritual em que uma mulher termina originando o anticristo.
Enfim, percebe-se que a única semelhança entre o cinema é o disco é a capa, já que as histórias são completamente diferentes.

INFESTISSUMAM X AMADEUS

O filme Amadeus, de 1984, é uma confissão de Salieri a um padre, após sua tentativa de suicídio dentro de um hospício. Nessa confissão ele conta como foi o responsável pela morte de Mozart, relata a convivência entre ambos, e como ele invejava Mozart, capaz de criar músicas tão divinas que era como se ele as recebesse de Deus.

Novamente há pouca relação da história com o álbum do Ghost. Infestissumam (2013) é a continuação de Opus Eponymous. A primeira música fala da chegada do anticristo e a última termina com a contagem regressiva para o apocalipse.

IF YOU HAVE GHOST X NOSFERATU

E parece que os caras do Ghost curtem um vampiro mesmo. Só espero que eles mantenham Crepúsculo fora dessa parada. Agora o vampiro que tá na capa é Nosferatu, gravado pela primeira vez em 1922. A história é sobre um agente imobiliário e um vampiro sedento por poder (e sangue).

If You Have Ghost (2013) é um compacto com algumas versões de músicas de outros artistas. Não há nenhuma história sendo contada ou qualquer coisa do tipo. É muito mais uma apresentação despretensiosa dos suecos.

CIRICE X THE SILENCE OF THE LAMBS

Produzido em 1991, o bizarro Hannibal Lecter é mostrado em The Silence of the Lambs (O Silêncio dos Inocentes). Hannibal é um psicopata que está preso por inúmeros assassinatos seguidos de canibalismo, e uma agente do FBI tenta utilizá-lo para desvendar um mistério envolvendo outro psicopata.

Cirice é um single lançado em 2015, que antecedeu o lançamento do álbum Meliora. A letra de Cirice é meio vaga, mas dá a entender que a banda está convidando outras pessoas para participarem de uma seita, ou até algumas referências à Circe, uma feiticeira da mitologia grega.

MAJESTY X KING-KONG

Bem, quem nunca ouviu falar no macaco gigante que se apaixona por uma bela jovem? A história não é das mais profundas, mas King-Kong revolucionou o cinema em 1933.

Majesty, lançado em 2015, foi um single que posteriormente entraria no álbum Meliora. A música louva uma majestade infernal. Ou seja, nenhuma relação com macacos, gorilas e chimpanzés...

MELIORA X METROPOLIS

Ok, ok... Aqui rola uma leve forçação de barra. Afinal as capas não se parecem tanto. Na verdade a capa de Meliora (2015) parece mais com algumas cenas do filme do que com o pôster dele.

Meliora já foi bem discutido aqui no blog, basta clicar aqui para ir até a página em que eu resenhei o álbum. Já Metropolis é um clássico do cinema alemão, do ano de 1927, uma ficção científica que, grosseiramente resumida, aborda a relação entre dominados e dominadores em uma sociedade.

ZENITH X ROSEMARY’S BABY

Em Rosemary’s Baby (O Bebê de Rosemary), de 1968, um jovem casal se muda para um prédio com vizinhos meio esquisitos. A mulher engravida e seu marido se envolve com uma estranha seita, então ele passa a desejar que seu filho seja o herdeiro do pé-redondo.

Enquanto que a letra de Zenith fala da gênesis do inferno. Pouquíssima relação com o filme, mais uma vez.
Esse single está presente em uma edição especial do disco Meliora.

E TEM MAIS...

Além dessas capas, o Ghost costuma fazer o mesmo com as estampas de suas camisetas. Mas isso será assunto para outro dia.
Por enquanto fico por aqui...

Conhece alguma outra referência das capas deles? Se sim, deixe seu recado para atualizarmos a listagem!

Quem usa o Google Plus?

Sobre o Rock em Balboa

Depois de anos de estudo e dedicação à engenharia, percebi que era tudo um grande pé no saco. Joguei as coisas pro ar e fui para a ilha de Balboa (pode procurar no Google, ela existe!). Agora fico deitado na rede e ouço rock o dia todo.

2 comentários :

  1. Materia mt foda, ansioso pela materia a respeito das camisetas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu!!! A das camisetas deve sair em breve... ;-)

      Excluir