Samsara Blues Experiment - One with the Universe (2017): Viaje na maionese.


Mais de dez anos e quatro álbuns. O Samsara Blues Experiment emplacou como uma banda promissora, no começo dessa década, mas depois de Waiting for the Flood (2013) deu uma desandada em um mar de incertezas.

Os alemães perderam o baixista Richard Behrens, e então o guitarrista Hans Eiselt assumiu o seu lugar, deixando as seis cordas para trás.
Uma mudança significativa, pois o quarteto virou um trio. Só três caras para manter a “bagunça” sonora que a banda se propõe não é uma missão fácil.

INCERTEZAS

Não falo só com relação à continuidade do conjunto alemão, mas da sonoridade. O som do Samsara é incerteza pura, e fiquei feliz ao constatar que One With the Universe preservou essa característica.
“As influências são muitas, desde a música indiana (o nome Samsara não é em vão), até a mistura de muito drive com psicodelia. É o tradicional heavy psych sem ser tão tradicional assim. Ficou confuso? Esse é o espírito.”
A evolução vocal de Christian Peters é louvável, e torna o som dos alemães muito mais tragável do que o praticado em trabalhos anteriores.

UMA BOA VIAGEM

One With the Universe oferece exatamente o que propõe: Uma boa viagem.
São poucas músicas, apenas 5, mas isso não quer dizer que o álbum é curto. Todas as canções são bem longas (e isso me incomodou um pouco, algumas poderiam ser mais resumidas).

Vipassana, a faixa de abertura, é um dos destaques, ao lado de Glorious Daze.
A primeira entrega um ótimo riff, momentos de piração e bastante fuzz, e uma boa letra – algo sobre como ver as coisas exatamente como elas são, assim como prega a meditação indiana.
Glorious Daze é mais experimental, e um pouco mais zen. O peso chega só da metade para o final.

RECOMENDADO

O interessante do Samsara Blues Experiment é que em One With the Universe eles conseguem um resultado muito mais acessível do que os sons de anos anteriores. E mesmo com essa pegada mais amigável, a essência foi mantida.

Ouso dizer que esse é o melhor disco deles até o momento. Perfeito para dar aquela viajada na maionese... Ou viajar para outros lugares, se preferir.

Freedom’s overrated, unless it’s freedom of the mind. I thought that we belong together, but I may have been blind.

--------------------------------

FICHA TÉCNICA:
Artista: Samsara Blues Experiment
Ano: 2017
Álbum: One With the Universe
Gênero: Heavy Psych
País: Alemanha
Integrantes: Christian Peters (vocal e guitarra), Hans Eiselt (baixo), Thomas Vedder (bateria).

MÚSICAS:
1 - Vipassana
2 - Sad Guru Returns
3 - Glorious Daze
4 - One with the Universe
5 - Eastern Sun & Western Moon



--------------------------------

<< (2013) Waiting for the Flood N/D >>
Quem usa o Google Plus?

Sobre o Rock em Balboa

Depois de anos de estudo e dedicação à engenharia, percebi que era tudo um grande pé no saco. Joguei as coisas pro ar e fui para a ilha de Balboa (pode procurar no Google, ela existe!). Agora fico deitado na rede e ouço rock o dia todo.

1 comentários :

  1. E nesse álbum as texturas de teclado estão bem mais carregadas, o que pra mim foi um deleite sem tamanho haha ótimo álbum!

    ResponderExcluir