The Mute Gods - …Tardigrades Will Inherit the Earth (2017): Vanguarda.


Vanguarda, no âmbito militar, é a primeira linha de um exército.

Com o tempo, a palavra foi adquirindo outros usos. Hoje ela é usada como um sinônimo de estar na frente, à dianteira.
Ou seja, vanguarda é uma palavra usada para representar um grupo, pessoa, ou ideia combativa. Algo pioneiro. Um precursor.

PROG AWARDS

Esse meu momento de professor Pasquale é para apresentar ao leitor esse relativamente novo trio, o The Mute Gods.
O trio é novo, mas os integrantes não são. Em um projeto liderado pelo baixista Nick Beggs, famoso por extensos trabalhos na cena prog (e outros trabalhos nem tão progs assim), o trio ainda conta com o alemão Marco Minnemann (The Aristocrats e Joe Satriani) e o norte-americano Roger King (Steve Hackett).

Os caras se destacaram em 2016 com o álbum de estreia, Do Nothing Till You Hear From Me. O bom trabalho resultou na conquista do famoso Prog Awards 2016, na categoria Vanguarda.

Foi para tudo isso?
Bem... Deixarei esse tema para uma eventual resenha do tal álbum. Vou me limitar a falar do …Tardigrades Will Inherit the Earth, por hoje.
“Ouvi dizer que durante o discurso da conquista do Prog Awards, o Mute Gods lamentou bastante por não ter aparecido na nossa lista de melhores do ano. Mas isso é apenas um boato de uma fonte não muito confiável, nada oficial.”

VANGUARDISTA CLICHÊ

Se eu tivesse que escolher uma categoria de prêmio para esse novo álbum, acho que uma boa opção seria a de vanguardista clichê.

A parte clichê é por conta da temática do álbum, uma exploração sobre as tendências autodestrutivas da humanidade.
A parte vanguardista é pelas letras. Eles conseguem trabalhar bem, mesmo em cima de um tema já exaustivamente abordado, e adotam linhas de pensamento inusitadas.

Por isso não me leve a mal, ignore o paradoxo, e encare a expressão vanguardista clichê como um elogio. Foi uma proposta difícil e o The Mute Gods lidou bem com ela.
Afinal, quantas vezes você já viu alguma banda usar a palavra tardigrado no refrão? Isso é pura vanguarda!
Eis o tardigrado, criatura que deu nome ao álbum.

SOMBRIO E CONTROVERSO

…Tardigrades Will Inherit the Earth é predominantemente sombrio. O conjunto já deixa isso claro na faixa inicial. Saltatio mortis introduz o álbum em um tom de marcha fúnebre.

A primeira música divulgada foi We Can’t Carry On (confira aqui), e a polêmica gerada foi grande. Mais um indicativo de que o trio não iria aliviar no álbum.
“Nós estamos embarcando em uma guerra que não pode ser ganha/ .../ Você, que fecha seus olhos para o que está acontecendo”... A letra forte, em tom de protesto, associada à imagem de Donald Trump, acabou gerando reações meio extremadas.

Enfim, rolou algo muito parecido com as reações em torno do Dystopia (Megadeth, 2016), só que mostrando o outro lado da moeda.
Vivemos um momento de divisão política no mundo todo, e a música faz bem o seu papel de contestar e apontar.
Cabe ao público ter pensamento crítico e maturidade para debater o tema. Um dia chegaremos lá.

DIVERSIFICADO

Você pode até não gostar, mas não pode dizer que …Tardigrades Will Inherit the Earth é entediante.

Além das músicas já citadas acima, outras chamam bastante atenção pela diversidade. Um exemplo é Early Warning: A canção é dividida em três atos, um é sobre uma mulher que descobre estar com câncer, outro sobre uma garota descobre que seu irmão se automutila, e o terceiro fala de uma cidade devastada pela guerra. As três histórias são encaixadas e formam uma bela composição.

A quase psicodélica The Singing Fish of Batticaloa também adota um rumo curioso. De acordo com as palavras do próprio Nick, trata-se de “uma história verdadeira sobre um peixe cantante do Sri Lanka, incluindo o áudio original de uma gravação do organismo feita pela BBC”. A letra aborda o ponto de vista do peixe, que está tentando avisar a humanidade de seu eminente final.

OS TARDIGRADOS

Ok, ok, ok... Peixes cantantes foi demais? Então dê uma pausa meu jovem, porque agora vou falar sobre os tardigrados.
Nick Beggs, seu passado te condena. Mas... Quem nunca?

Tardigrades Will Inherit the Earth é, sem sombra de dúvidas, o momento mais bisonho (e legal!) de todo o álbum.
A música é qualquer coisa, menos um rock progressivo. Está muito mais para um pós-punk oitentista e seus derivados.

Acha que estou viajando na maionese? Saiba que o próprio Nick Beggs já andou bem perto dessa sonoridade, não só flertando, mas mergulhando no synthpop e new wave.
Precisa ver para crer? Clique aqui e divirta-se com o som do Kajagoogoo.

Em uma mistura de Doctor Who com O Guia do Mochileiro das Galáxias, o clipe é uma invasão de tardigrados pelo céu. Dê uma olhada antes de prosseguir!

Pode parecer nonsense, mas a letra faz todo o sentido. O tardigrado é o único ser terrestre capaz de sobreviver no espaço (sem trajes espaciais, obviamente), em radiações exorbitantes e temperaturas inferiores a 200°C negativos. O bichano sobreviveu às cinco principais extinções em massa ocorridas na Terra.
Nenhum outro animal conseguiu essa façanha.

Quando o The Mute Gods canta que tardigrados herdarão a terra, eles estão dizendo que nós caminhamos para uma autodestruição, e só sobrará esse ser highlander no planeta.

Então, por mais que pareça tudo uma grande zoeira, na verdade é uma letra muito séria e inteligente. A pitada de humor foi brilhante para tirar o peso desse assunto.

INCONSISTÊNCIAS

Até agora, só elogiei o álbum e não externei meu lado ranzinza. Devo dizer que o álbum não é perfeito... Pelo contrário, possui alguns momentos meio dispensáveis.
The Dumbing of the Stupid é irritante, com seu vocal distorcido demais e abafado. E Stranger than Fiction é meio melosa além da conta.

Ainda assim, isso não tira o fato de …Tardigrades Will Inherit the Earth ser um bom álbum. Tem suas inconsistências, tem seus clichês, mas tem sua vanguarda e suas surpresas.

You and I are only here for a little while. So let’s TV shop and fall in love. Build a house just big enough. Before the tardigrades inherit the earth.

----------------------------------------

FICHA TÉCNICA:
Artista: The Mute Gods
Ano: 2017
Álbum: …Tardigrades Will Inherit the Earth
Gênero: Rock Progressivo
País: Inglaterra
Integrantes: Marco Minnemann (bateria), Nick Beggs (vocal e baixo), Roger King (teclado e guitarra).

MÚSICAS:
1 - Saltatio mortis
2 - Animal Army
3 - We Can't Carry On
4 - The Dumbing of the Stupid
5 - Early Warning
6 - Tardigrades Will Inherit the Earth
7 - Window onto the Sun
8 - Lament
9 - The Singing Fish of Batticaloa
10 - The Andromeda Strain
11 - Stranger than Fiction



----------------------------------------

<< (2016) Do Nothing Till You Hear From Me N/D >>
Quem usa o Google Plus?

Sobre o Rock em Balboa

Depois de anos de estudo e dedicação à engenharia, percebi que era tudo um grande pé no saco. Joguei as coisas pro ar e fui para a ilha de Balboa (pode procurar no Google, ela existe!). Agora fico deitado na rede e ouço rock o dia todo.

4 comentários :

  1. Só esqueceu de falar que o The Mute Gods é especialista em músicas que grudam na cabeça. Só de ler o nome do álbum no título da resenha vim cantando o refrão até o fim da leitura dessa resenha, e provavelmente vou ficar o resto do dia com ela na cabeça hahahah! Eu gosto dos temas sombrios e da sonoridade bizarra desse álbum, mas gostei mais do primeiro, talvez porque ele se aproxime bem mais do prog do que esse. Sem dúvida há elementos bem estranhos como post-punk, que eu ainda não me acostumei, mas é sim um álbum bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda vez que eu leio o título do álbum, eu já leio no ritmo do refrão... É inevitável!!!

      Excluir
  2. Eu sou biólogo e faço doutorado na área de zoologia. Não só estudei sobre Tardígrados na graduação como já dei aula sobre eles hehe. Dito isso, creio que podem mensurar minha surpresa ao ver um disco com esse título.

    Conheço Nick dos discos do Steven Wilson. Minnemann nem precisa falar. Mas eu passei batido sobre essa banda, pois não tinha conhecimento. Ouvi apenas (e vi o hilário vídeo) a faixa sobre os tardígrados. Não é o que eu esperava de uma banda com Marco Minnemann hehe. Só depois de passar dos 30 que fui conferir o tal do pós-punk direito, ao vencer meu preconceito de metaleiro e fã de rock progressivo. Sendo assim, não é um gênero que eu esteja tão acostumado, mas até que achei a música interessante. Ouvirei os discos do grupo, com certeza.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso imaginar sua surpresa... E o mais incrível é que recentemente esses bichos apareceram na capa do UOL, e eu levei outro baita susto!
      (https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2017/03/17/tardigrado-se-transforma-em-vidro-para-sobreviver.htm)

      Acho que os tardigrados são o novo pop! Rsrsrs...

      Quanto à sonoridade, confesso que também fui pego de surpresa. Espero que curta o grupo!

      Abraço...

      Excluir